De vidro.

Esbanjava certa inocência míope. O humor acelerando junto com o motor de sua potente caminhonete 4x4. Bancando o co-piloto estava o motorista engravatado, tremendo feito gelatina. Enquanto a moça de vidro dirigia à milhão. O santo roteiro era o mesmo, shopping, lojas de conveniência e uma agradável caminhada no parque central da cidade. Sim. Eu acompanhava de longe aqueles olhos de mel que exibiam um círculo de inconstância grudado nas retinas. O riso camuflado entre as piadas internas e a sua parada primordial no Café Bonjour Mon Amour faziam parte de um golpe de arrogância despida e proposital.

Mas por dentro do olhar superior, havia uma suavidade natural, como se todas as suas defesas estivessem sendo manipuladas por uma força materialista maior do que cabia dentro dela. E todos os seus planos impactantes sempre acabavam em algum lançamento exclusivo das Lojas Louis Vuitton. E lá a moça de vidro comprava milhares de bolsas e nelas guardava apenas o oco de sua inquebrável ostentação. Ali a poucos metros, ela parava pra tomar seu café. Neste momento, eu juro que via nela alguma delicadeza de menina que dói. Coração de vidro. Pele de vulcão. E imaginava a minha cena preferida de fim de tarde.

Ela descalça pisando na grama molhada, sorrindo desarmada, deixando a parte pontiaguda de seu peito em stand by. Eu, ali engolindo a rouquidão ofegante de sua voz, imaginando a quantidade de cacos que a menina docedeleite guardava quando se tornava moça de vidro. Eu sabia que os cacos que ela guardava eram tão afiados quanto as garras de seu mau humor. A sua arma preferida estava guardada no meio da sua arrogância, bem dentro do seu peito de vidraça quebrada.
Eu, desajeitado me desvencilhava desse Insight inusitado e arrebentava a cara, quando a dona de vidro, colocava as mãos no balcão e pedia com voz docedeleite.
_Uma dose de solidão, seu moço. Sem gelo, por favor.
Da mesa ao lado eu respondia quase que sussurrando. Ah se ela pedisse amor...

Mesmo que fosse um amor pequenino, desses que a gente guarda num potinho de vidro. E rouba todo dia um pouquinho até esvaziar. E quando termina a gente acaba se cortando no pote. Só por querer se lambuzar demais.
E do meu jeito eu entendia a moça de vidro. Amor só se vier junto com uma dosezinha de solidão. Dessas que a gente engole com vodka ou encara pura mesmo. Dessas que a gente guarda, recorta e cola no nosso mural instantâneo. E fica lá exposta feito troféu. E a gente vai colecionando uma porção delas, de todas as cores e variados sabores, tem aquela que é de vidro e sempre te machuca. Um dia você enjoa e a joga pela janela. Ela vai despedaçar e você jamais vai deixar de sangrar.

É, moça de vidro, ainda bem que você anda blindada.

62 comentários:

  1. Minha querida, sempre atenta. Muito obrigado!

    Ju, as suas palavras sempre são lindas de se ler. Você é capaz de ver e descrever, é magnífica e eu ADORO te ler! Adoro, adoro! Um livro, que tal? Daria para imensos deles...

    Moça de vidro que sentimentos demais tem não poderá ser esgotada, nunca. Pois se partir de tantos maus-tratos ela vai se vingar e cortar.

    Gostei imenso! *

    ResponderExcluir
  2. Muito bom ,

    uniu dores, confrontou um belo corte e costurou
    a suavidade do engano.

    bjos

    ResponderExcluir
  3. Juuu, que lindeza de post *-*
    escreve com suavidade!!!!

    O negócio é andar blindada mesmo rsrs

    bjokitas :)

    ResponderExcluir
  4. Ah, Ju...que fofura! Amei esse texto, já é um dos meus favoritos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ando blindada como essa moça, que apesar de frágil não se deixa vencer.

    Mais uma vez você encantou.

    Saudades de passar por aqui e te ler :*

    ResponderExcluir
  6. Engraçado como fazemos questão de colecionar coisas que só nos farão sofrer...
    Lindo texto!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Muito bem escrito, bastante criativo. Bjos

    ResponderExcluir
  8. Estive com tantas saudades, o tempo está curto, mas sempre que dá passo por aqui. Está lindo o texto, gostei muito mesmo. Passa la no meu blog, tem postagem nova. Quero voltar a ser mais presente, por aqui. Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Com o tanto de soco que a vida dá a gente vai se tornando assim, não me orgulho de dizer isso. Mas com o tempo a gente vai descobrindo que pra algumas pessoas vale a pena a risco de se desarmar, de ser tornar a menina docedeleite.
    Luto sempre pra não ser esse vidro que corta e machuca, e por enquanto estou me recusando a pedir a tal dose de solidão, fico só com a de amor, pura for favor!
    beeijo;*

    ResponderExcluir
  10. "Amor só se vier junto com uma dosezinha de solidão. Dessas que a gente engole com vodka ou encara pura mesmo. Dessas que a gente guarda, recorta e cola no nosso mural instantâneo. E fica lá exposta feito troféu."

    Saudades de vir aqui e ler esses textos que me inspiram.

    Ju, fique bem querida

    http://devaneiosfugazes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Como consegue escrever tão lindamente?rs...adoro!
    Amor e solidão...acho que sabemos que um anula o outro e que bom que seja assim...lindo texto Juh! bjsss

    ResponderExcluir
  12. Bela postagens,,,são passagens da nossa vida que ficam pra sempre...beijos querida e um lindo final de semana pra ti.

    ResponderExcluir
  13. Juhhhhhh, tem selinho pra vc no meu blog! Agradeço suas visitas e perdoe minhas ausências...o tempo tem sido curto! ♥ ♥

    ResponderExcluir
  14. Nosssa que bacana...adorei suas postagens e com certeza voltarei mais vezes...Te seguindo. Boa tarde Menina Ju!!!

    ResponderExcluir
  15. "Mesmo que fosse um amor pequenino, desses que a gente guarda num potinho de vidro. E rouba todo dia um pouquinho até esvaziar. E quando termina a gente acaba se cortando no pote. Só por querer se lambuzar demais"

    Putz.. adorei isso!!! :DD

    Bjuxxx

    ResponderExcluir
  16. Seu blog é muito interessante...
    Estou te seguindo.... Tenha um Lindo Dia!
    Siga meus Blogs: http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/
    E http://deusemminhaalma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. todos os vidros mais fortes são vários cacos colados e recolados.
    e solidão com vodka é das melhores combinações do mundo.

    ResponderExcluir
  18. Um grande beijo de belo sábado pra ti amiga,,muitos versos a alimentar a alma...

    ResponderExcluir
  19. Sua escrita é de uma precisão e de uma beleza encantadora, não é fácil usar tão bem das metaforas e das figuras de linguagens, mas acho que você não pensa nisso quando escreve ao menos o que parace é que flui de forma natural, essa menina de vidro é tão real é tão palpavel, uma colecionadora de solidões como muitos de nós, mas uma dia sempre acabasse por pedir amor seja esse pequenino ou não rsrsrs... parabéns eu realmenet admiro o seu trabalho aqui, sucesso!

    ResponderExcluir
  20. Minha querida:
    Sempre perfeitos e reflexivos os seus textos.
    Não te limitas a escrever dás-nos sempre algo mais.
    Também tinha saudades de estar aqui, no lugar ao sol perto do vento, perto de ti.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  21. LI suas palavras e imaginei cada detalhe....muito bom!
    Beeeijooos

    ResponderExcluir
  22. Uua, mas tu escreve bem demais!
    Uma leitura muito gostosa e com gosto de quero mais.
    Eu gostei muito do teu estilo, sei lá, não sou muito bom com palavras hehe, mas gostei muito mesmo. Tem uma leveza, um jeito de contar que vai fluindo...
    Volto mais vezes com o maior prazer.
    Beijos
    =]

    ResponderExcluir
  23. Ai ai... Não costumo bajular e nem é o que farei agora, mas é que tenho que dizer:

    "Um dia ainda quero escrever como você, Ju."

    Pra quem realmente lê, interpreta e entende, seus textos são riquíssimos em detalhes e conteúdo. Um conteúdo, que muitas vezes é encoberto por comentários de pessoas desatentas, que não podem nem ser chamad(o)as de 'leitore(a)s'.

    -- --

    Quantas mulheres blindadas de arrogância e altivez andam por aí, esbanjando uma camuflagem de alguém, que na verdade é inseguro e só necessita de amor, carinho e atenção... sentimentos sinceros.

    -- --

    Parabéns pelo texto, Ju.
    Brilhante!

    ResponderExcluir
  24. Só agora que vim, percebi que andava precisando de uma dose de Ju.
    O encanto ao ler seus textos só aumenta. De onde você tira cada palavrinha e como você consegue encaixá-las tão bem?

    No fundo, a moça de vidro só tem medo de se machucar. Acontece quando a gente já passou por isso, ou quando já fizemos alguém por isso passar. Ainda tenho minhas dúvidas do que é melhor, se entregar e sofrer ou apenas se abster de sentir. Mas uma vida sem a intensidade dos sentimentos deve ser muito dolorida e sem graça.

    Que a moça de vidro encontre o seu meio termo!

    Beijo Juzinha! :*

    ResponderExcluir
  25. Oi!!!
    Tudo bem???
    Vim retribuir a sua visita, sempre que possível estarei aqui dando uma espiadinha no seu blog.
    Tenho vídeo novo no blog da menina limão em: SPA.
    Dá uma conferida.
    Vc viu meus outros vídeos? Se não, depois dá uma olhada quando vc puder e me fala o que vc achou
    sua opinião é importante pra mim.
    Boa semana,
    fica com Deus,
    beijos
    www.meninalimaoem.blogspost.com
    @limaomenina

    ResponderExcluir
  26. "Amor só se vier junto com uma dosezinha de solidão....tem que ser assim! Lindo JÚ...SAUDADE AMIGA, BJ E TODO MEU AMOR!!!

    ResponderExcluir
  27. É aquela velha história de PARECER forte por fora e ser frágil por dentro. Como cansa andar sempre da defensiva.

    ResponderExcluir
  28. Olá, estive conhecendo o seu blog (amei os escritos) e aproveito para deixar o meu também: http://blogcognicao.blogspot.com

    Abraços!

    ResponderExcluir
  29. Muito obrigado minha amiga. Beijos e feliz resto de semana!

    ResponderExcluir
  30. ''Mesmo que fosse um amor pequenino, desses que a gente guarda num potinho de vidro. E rouba todo dia um pouquinho até esvaziar. E quando termina a gente acaba se cortando no pote. Só por querer se lambuzar demais.''
    Que metáfora fantástica!

    Parabéns pelo texto.

    Um beeeijo.

    ResponderExcluir
  31. Um bom feriado pra ti amiga e um ótimo final de semana cheio de poesia e amor...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  32. de repente o raciocinio dela de se guardar esteja certo.
    mas também afasta a felicidade,né?
    acho que as questões de amor são assim: receber uma coisa para perder outra.


    belo texto, Ju
    ;*

    ResponderExcluir
  33. Bom mesmo é se cortar. Passa em vão pela vida quem não carrega marcas.

    Adoro teus escritos, garota.

    ResponderExcluir
  34. Já dizia "aquele tal" de Vinicius: O amor só é bom se doer!

    Bjs, lindissima.

    ResponderExcluir
  35. Acho que mulheres de vidro são tao fortes por ser tão frageis.
    Mas o Vidro nunca é tarsparente,nunca é polido.

    Eu gosto de mulheres de vidro.


    saudade de ler vc ju =***

    ResponderExcluir
  36. Há sempre um amorzinho acompanhado de solidão dentro de um vidro.

    Lindo.

    ResponderExcluir
  37. Oi =) pra quem não lembra eu sou a Amanda Romero do Keep Breathing e estou reabrindo o blog. Fiquei um tempo sem escrever por falta de tempo, mas quem escreve sabe que quando não se coloca essas palavras pra fora a mente vira um furacão.
    Tem post novo (http://amanda-romero.blogspot.com/2011/06/o-problema-voce-nasce.html)
    e se gostar da uma olhadinha no resto do blog =) http://amanda-romero.blogspot.com/

    Obrigada.

    /Acho que te todos os blogs que eu já li (não que eu leia tanta coisa assim) o teu é um dos que mais me... abraçou. É. Quero dizer... o que você escreve meio que me envolve. É tudo real e os sentimentos parecem tangíveis. Adoro a leveza com a qual você escolhe as palavras. É tudo tão doce e suave que dá vontade de entrar no lugar de uma vírgula ou um ponto e ficar sentindo a história ali, quietinha.
    Lindo demais aqui.
    Volto sempre.

    ResponderExcluir
  38. Um dia cheio de carinho e paz pra ti amiga querida...beijosssss

    ResponderExcluir
  39. Também tenho esse costume. Obrigado minha amiga.
    Beijos, doce*

    ResponderExcluir
  40. Um dia todo lindo pra ti querida menina...beijos.

    ResponderExcluir
  41. Quanta delicadeza! Me apaixonei pela tua escrita...
    Beijos

    ResponderExcluir
  42. É mesmo!
    Muito obrigado minha amiga de bonitos escritos. Te adoro ler! Espero um novo post. Beijos *

    ResponderExcluir
  43. Ahaaaa! Te acheiiii :D

    Que maravilhoso, Ju!

    Tem vez que a solidão é nossa única companhia... e se não for a gente faz questão de se esbarrar nela. Mas o que sobra e corrói por dentro não é a solidão.

    É o amor.

    E esse dói pra caramba!

    Beijinho pra ti. Até mais!

    ResponderExcluir
  44. Assim serei!
    Um grande beijinho *

    (O Povo começa a perguntar pelo próximo post, Ju. E eu também!)

    ResponderExcluir
  45. Um dia todo lindo cheio de carinho e poesia pra ti amiga...beijos e beijos.

    ResponderExcluir
  46. Nossa que post lindo esse. E ainda foi postado no dia do meu aniversário!! ahuahuahuah amores pequeninos que cabem em potes de vidro não servem mais p/ mim. Eles são muito perigosos!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  47. Tenho certeza de que nenhum post foi tão conciso, emocionante e amplo como este. Você não tem jeito, mulé!

    BeijooO*

    ResponderExcluir
  48. Há muitas pessoas que devem andar blindadas... E por vários motivos... Ótimo texto! bjos

    ResponderExcluir
  49. quanto não se esconde dentro do vidro?
    e quanto insistimos em lá guardar?...
    beijinho, ju, sempre em deleite maior por via da tua escrita!

    ResponderExcluir
  50. Sem palavras... adorei demais mesmo.

    ResponderExcluir
  51. TEM UMA PESSOINHA BEM ESPECIAL POR AQUI
    http://sandraregina7.blogspot.com/
    VOU TE EWSPERAR. SEJA BEM VINDA.
    FICAREI MUITO FELIZ COM A SUA PRESENÇA.
    CARINHOSAMENTE,
    SANDRA

    " A melhor maneira de alimentar os nossos sentimentos é compartilhá-los com verdadeiros amigos"!

    ResponderExcluir