Ela e o tempo.

Por mais que o tempo fosse um alivio para suas dores de cotovelo, ela continuava remoendo algo do passado.
Algo tão claro, que não dava para disfarçar seu sorriso torto, meio de canto, meio santo.
Talvez um sorriso que fora escondido por tanto tempo.
Faltava-lhe um pouco de loucura e coragem para tornar real aquilo que ela desejava.
Tentava desvendar ruídos de alegria e satisfação.
Havia algo em seus pensamentos maldosos, ora tão doces.
Uma verdadeira desordem em sua mente tão obscura, um alento talvez.
Uma recordação, um sonho perdido no tempo.
Procurava por todos os cantos e não encontrava nada.
Estava oca, definitivamente desequilibrada por dentro.
Guardou tudo tão escondido, que não era capaz de achar nada, além de cacos de sua mísera inquietação.
Tudo tão vago, sem explicações, um verdadeiro caos de emoções.
Tão longe de si ela avistou uma peça fundamental para tudo o que sempre procurou.
Ele estava lá no fundo do seu armário, esquecido, intacto e o tempo não passou para aquele caderninho de capa dura.
Parece que foi ontem, que havia guardado com tanto cuidado.
Cuidou tanto para que não fosse encontrado, que o esqueceu ali por uns dez anos.
Sua memória saltitava alegremente tentando tocar aquele caderno.
Nele algumas frases, pedaços de um rascunho feito à mão.
Linhas escritas diariamente com afinco e letras desenhadas como se fosse uma canção.
Histórias marcadas por tinta e papelão.
Restos de amor, embalados com emoção.
Alguns versos.
Algumas alegrias.
Um choro contido, uma risada aflita.
Um soluço.
Frases infinitas
Jogadas ao tempo.
Pedaços de sonhos, de amor e compaixão.
Linhas e desilusão.

26 comentários:

  1. Que lindo e perfeito!!!
    Me identifiquei muito com esse post. o tempo tem sido um alivio para minhas dores, mas continuo a remoer coisas do passado...
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Todos temos um caderno guardado no fundo do peito. Com todos os sentimentos meio que adormecidos.

    Vale a pena dar uma olhgada nesse caderninho de vez em quando. As vezes olhamos o passado sob outra perspectiva.

    Beijo, Ju.

    Obrigada pelas palavras sempre carinhosas no blog.
    Voce é especial

    ;)

    ResponderExcluir
  3. Oi linda!!!
    Nãoi deixe de se inscrever na promoção!!!

    ResponderExcluir
  4. Sempre me pedem tempo,
    mas o tempo é tudo que nao posso ter
    e muito menos dar.

    ResponderExcluir
  5. Interessante essas palavras, encontrei uma parte grande de minha vida nessas linhas...
    Nao sei se me permite, tomei a liberdade de colocar esse seu texto na minha página.
    www.vivendoalemdailusao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Desilusão de paixão. Conheço isso!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Somos tempo, amor, pensamentos, sentimentos, dor, solidão, somos um pouco de tudo!

    Que lindo Ju!
    Beijos no teu coração!

    ResponderExcluir
  8. Lindo, como sempree...
    Beijos moça ;*

    ResponderExcluir
  9. Essa história de tempo é tão complicado... Nada tira da minha cabeça que o tempo nada mais é que o maior objeto de ilusão que existe - ele nos dá a impressão de estarmos melhores, quando na verdade estamos tão ruins quanto no primeiro dia.
    E sim, um pouco mais de loucura para todas nós! :)
    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Ei ju, td bem??? obrigada pelo comentario, gostei do teu blog garota, vou add vc

    bjsssssssssss

    ResponderExcluir
  11. "Um soluço.
    Frases infinitas
    Jogadas ao tempo.
    Pedaços de sonhos, de amor e compaixão.
    Linhas e desilusão..."


    lindo... cheio de emoção.

    ;*

    ResponderExcluir
  12. Essas diferenças intempestivas de emoções....nos fazem viver nesse abismo de informações...

    Lindo post.

    bj

    ResponderExcluir
  13. Olá Ju! Quase que me vi nela!! Que bonito o teu texto! O meu caderno também está guardado... mas agora ao meu alcance. Também o escondi, para não o ver, e também desesperei à procura dele. Encontrei-o e não mais o largarei!

    Beijinho**

    ResponderExcluir
  14. OI, Ju!

    O Olávo não exagerou quando elogios suas linhas!!... Bem interessante sua forma de escrever - tão clara, objetiva, sem cair no comum. Gostei muito tbm Parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Olá Jú,
    vim através do blog do Olavo para conhecer o seu.
    ADOREI! Identifiquei-me com muitas coisas que li aqui.
    Voltarei mais vezes!

    Um abraço carinhoso!

    ResponderExcluir
  16. Seus escritos são profundos e impossíveis de não gostar.
    É gratificante ler-te!!!

    ResponderExcluir
  17. PERFEITOO
    Define o seu texto essa palvra!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  18. ...
    Oi Ju,
    A memória de nossas histórias.
    Gostei.
    Beijos
    ...

    ResponderExcluir
  19. E talvez por algum motivo, bem pequeno... não tenhas colocado a palavra " saudade "... nestas linhas.

    Tudo de bom para ti, Ju
    Rolando

    ResponderExcluir
  20. Oi minha amiga

    Tudo em paz por ai?

    Passei para desejar um excelente carnaval para voce.

    Bjs com carinho.
    Ro

    ResponderExcluir
  21. "Faltava-lhe um pouco de loucura e coragem para tornar real aquilo que ela desejava."

    ah se fosse só a loucura que me faltasse...



    liiiindo texto!
    *-*

    ResponderExcluir
  22. um regresso na linha do tempo, ao passado tantas vezes vestido de presente.

    ResponderExcluir
  23. é perfeito!
    obrigada e igualmente (: beijinhos

    ResponderExcluir
  24. Tempo...Ah! O eterno tempo!
    O tempo é algo tão íntimo e pessoal, na verdade é atemporal.
    Há coisas que nem mesmo ele consegue varrer de nossas vidas por mais tempo que possamos dar ou esperar.
    Beijinho em ti, adorei tua visita

    ResponderExcluir